Imprensa

Alumni marca a formação de novos educadores ambientais


Alunos do Programa de Formação de Educadores Ambientais - PFEA 2018, de oito municípios da região, apresentaram seus trabalhos finais no último sábado (8), em Itá.

Iniciou em abril e encerrou no último sábado, dia 8, o Programa de Formação de Educadores Ambientais - PFEA 2018. O curso de 120 horas/aula é uma realização do Centro de Divulgação Ambiental (CDA) do Consórcio Itá, desenvolvido para os profissionais de educação da área de abrangência da UHE Itá. Nesta edição, foram 28 alunos que concluíram o programa, vindos de oito municípios: Itá (SC), Concórdia (SC), Alto Bela Vista (SC), Chapecó (SC), Herval D’Oeste (SC), Marcelino Ramos (RS), Peritiba (SC) e Sananduva (RS). 
A programação em sala de aula teve a coordenação pedagógica do professor e doutor, Marcos Antônio dos Santos Reigota, da Universidade de Sorocaba (UNISO). Já a coordenação geral dos educadores ambientais foi de Anaí Cadore e Jusselei Edson Perin, que integram a equipe do CDA. Entre os temas trabalhados durante os 10 encontros do curso, destaca-se fundamentos e práticas em Educação Ambiental, Meio Ambiente, Vida Cotidiana, Cidadania e Cultura. 
Para Marcos Reigota, um dos principais objetivos da formação é encaixar a educação ambiental na questão cidadania. “A educação ambiental deve existir atrelada com a cidadania, e ela acontece nos momentos em que se olha para o outro, é olhar o coletivo, o comunitário. Como se apresentou neste encontro! É a relação das mulheres da limpeza da cidade com os estudantes. É saber que não adianta ter uma cidade limpa se as relações entre as pessoas estão deterioradas. É olhar para o outro sem interesses e enxergar de fato as pessoas”.
Renata Nery, de Sananduva (RS), é professora de Física e Biologia e iniciou o PFEA em 2010, mas por motivos pessoais acabou concluindo o curso neste ano. Ela apresentou no Alumni seu trabalho de conclusão. Para Renata, o PFEA serve como uma reconstrução e uma forma de rever conceitos. “O PFEA me abriu novas dimensões e uma nova compreensão de meio ambiente, pois, o meio é onde a gente está inserido. Não adianta só se conscientizar, é preciso se sensibilizar”, aponta.
O Alumni também é um momento de reciclagem. Para Alessandro do Amaral e Silva, Engenheiro Agrônomo, ex-aluno do PFEA, participar das novas edições é sinônimo de renovação de energia. “Hoje eu estou aqui para aprender e me inspirar nestes trabalhos. As pessoas deveriam aproveitar essa oportunidade e voltar a cada ano. Eu trabalho com projetos agroecológicos e a educação ambiental faz parte deste trabalho. Com o conhecimento desenvolvido no PFEA, passei a observar de forma mais crítica a nossa realidade. Percebendo esta realidade, nós conseguimos transformá-la”, comenta ele.  
O Consórcio Itá, ao concluir mais uma edição do PFEA, afirma que o programa já é o principal projeto desenvolvido através do Centro de Divulgação Ambiental. Para o gerente do Consórcio, Reginaldo Oliveira, o programa desenvolvido desde 2009 tem contribuído com a comunidade, criando um ambiente para discussão de ideias e criação de consciência ampla acerca da educação ambiental. “O PFEA busca despertar nos profissionais ligados à educação ambiental a compreensão de uma dimensão mais adequada do tema. Em todos esses anos, com aproximadamente 180 alunos, o PFEA tem muita atenção e o respeito de várias instituições envolvidas no tema, não medindo esforços e alocando significativos recursos financeiros e humanos para que este Programa atingisse o estado atual de maturidade”.

Compartilhe:

Artigos relacionados

Notícias

Ver outras notícias