A UHE Itá

Conheça nossa História

  • 1966-1969

    O Comitê de Estudos Energéticos da Região Sul desenvolve estudos para caracterizar os recursos hidroenergéticos da bacia do rio Uruguai e monta um programa de construção de usinas hidrelétricas.

  • 1977-1979

    Os estudos são revisados levando em conta não apenas o melhor aproveitamento energético do rio, mas também aspectos socioeconômicos, culturais, fisioterritoriais e ecológicos. Deste inventário sai um projeto dimensionado com 22 usinas em toda bacia. Itá figura entre as prioritárias, devido ao seu porte e ao custo relativamente baixo da energia firme gerada.

  • 1979-1981

    São realizados os estudos de viabilidade, mais tarde revistos (entre 1984 e 1985), devido a mudanças hidrológicas da bacia causada por enchentes. Nesta fase, altera-se o posicionamento da barragem, que passa a ficar à montante da foz do rio Uvá. Com isso perdeu se um pouco de área de reservatório, mas a região, habitada, foi poupada do alagamento. Nesta época, começam as providências com relação à relocação da cidade de Itá.

  • 1986-1987

    Desenvolvimento e revisão do Projeto Básico, aprovado pelo Departamento Nacional de Água e Energia Elétrica.

  • 1989

    O Brasil decreta moratória e o financiamento acordado com o Banco Mundial para a construção da Usina é suspenso.

  • Para saber mais

    Para saber mais sobre a história da construção da Usina Hidrelétrica Itá, clique aqui e baixe o livro Memórias de uma Usina. O livro é um olhar sobre a complexa história e uma singela homenagem às milhares de mãos que transformaram o sonho da Usina Hidrelétrica Itá em realidade.

GERAÇÃO DE ENERGIA HIDRELÉTRICA

A Energia Hidrelétrica é a energia que vem do movimento das águas, usando o potencial hidráulico de um rio de níveis naturais, queda d'água ou artificiais. Essa energia é a segunda maior fonte de eletricidade do mundo. Frequentemente constroem-se represas que reprimem o curso da água, fazendo com que ela se acumule em um reservatório denominado barragem. Toda a energia elétrica gerada dessa maneira é levada por cabos, dos terminais do gerador até o transformado elevado.

Para aproveitar o potencial hidráulico de um determinado rio, geralmente interrompe-se o seu curso normal através de uma barragem que provoca a formação de um lago artificial chamado reservatório, o qual tem a saída de suas águas controlada pelo vertedouro ou pela comporta da tomada d’água. A água é conduzida até a casa de força através de túneis forçados, passa pela turbina hidráulica, a qual movimenta o gerador. Logo após, a água é restituída ao leito natural do rio através do canal de fuga.

Dessa forma, a água, ao passar pela turbina, faz com que essa gire; por estar acoplada mecanicamente ao gerador, o mesmo, ao girar, transforma a energia mecânica em energia elétrica. A energia gerada é levada, através de cabos ou barras condutoras, dos terminais do gerador até o transformador elevador de tensão, onde tem sua tensão (voltagem) elevada para adequada condução até a subestação blindada a gás SF6.

Para saber mais
sobre como é
produzido esse tipo
de energia pela Usina
Hidrelétrica Itá, clique aqui e
acesse o PDF

Baixar PDF

Municípios da área de abrangência da Usina Hidrelétrica Itá

Santa Catarina

  • Alto Bela Vista

  • Arabutã

  • Concórdia

  • Ipira

  • Itá

  • Peritiba

  • Piratuba

Rio Grande do Sul

  • Aratiba

  • Marcelino Ramos

  • Mariano Moro

  • Severiano de Almeida

Plano Diretor

O objetivo do Plano Diretor é elaborar um documento que apresente orientações, diretrizes, ações e atividades de curto, médio e longo prazo, para o fortalecimento da instituição gestora do recurso hídrico e para explicar normas e regras para os usuários do entorno de forma que a disponibilidade do usufruto e a satisfação das exigências ambientais sejam garantidas.

O Plano Diretor é um instrumento que consolida todos os resultados e compromissos definidos ao longo de vários anos, através dos Programas Ambientais da UHE Itá. É um documento que define responsabilidades, parâmetros legislativos e zoneamento ambiental.

O Plano Diretor é estruturado em termos de grandes atividades, sendo dividido em duas partes: diagnóstico e elaboração do plano.

A primeira servirá de base para a elaboração do plano e compreende 4 etapas de modelagem de avaliação e gestão de recursos hídricos. São elas:

- Obtenção de dados e estudos ambientais da região e do reservatório.
- Dados sobre geração e hidrologia.
- Legislação ambiental cabível ao reservatório e seu entorno.
- Simulação do cenário de desenvolvimento no entorno do reservatório.

Essa metodologia conta sempre com um suporte teórico-conceitual, que demonstra sua base científica e sua eficiência no alcance dos objetivos.

O uso de Sistema de Informações Geográficas (SIGs) permite agregar, em um único pacote, a capacidade de mapear características, associá-las a bancos de dados internos e processar análises espaciais. Desta forma, forma-se um mapeamento com zoneamento ambiental, que define e doutrina as áreas do entorno do reservatório, através da classificação de níveis de uso.



Notícias

Ver outras notícias